Turismo em alta: 97,13% dos turistas pretendem retornar à Paraíba, aponta Fecomércio

Quem esteve passeando na orla, aproveitando as praias ou conhecendo as belezas históricas da nossa capital, observou o grande fluxo de turistas que escolheu a Paraíba como destino nestas férias de dezembro e janeiro. As nossas belezas naturais e urbanas e a receptividade do paraibano, mais uma vez, foram os diferenciais para o turista que visitou a Região Metropolitana de João Pessoa neste verão. Satisfeitos, 97,13% deles afirmaram a intenção de retornar ao Estado, uma alta de 2,2 pontos percentuais comparado a 2016. Além disso, 98,04% estão dispostos a indicar João Pessoa como roteiro turístico. Os dados integram a Pesquisa do Comportamento do Turismo na Região Metropolitana de João Pessoa, a maior e mais completa análise do perfil do turista que visita o estado, desenvolvida há sete anos pelo Instituto Fecomércio de Pesquisas Econômicas e Sociais da Paraíba.

O estudo mostrou que a maior parte dos turistas tiveram suas expectativas totalmente correspondidas ao visitar o estado, totalizando 70,29%. Este resultado foi 8,69p.p. acima do registrado em 2016. Já para 27,90%, estas expectativas foram superadas. Apenas 1,21% teve a expectativa abaixo do esperado. O turismo de lazer foi o objetivo de 59,13% dos entrevistados, um crescimento gradativo que acontece desde 2014. Em seguida se destacaram as visitas a amigos ou familiares e negócios e trabalho, modalidade de turismo que vem apresentando crescimento desde o ano de 2013.

No que se refere aos motivos que levaram a escolher a região, destacou-se, com 53,09% das respostas, as praias. Em seguida aparece a visita a parentes ou amigos, com 41,63% das respostas. É importante observar que 19,31% dos entrevistados chegaram à cidade através de propagandas, mostrando que o esforço coletivo do trade turístico vem apresentando resultados positivos. Em contrapartida, esta divulgação deve ser intensificada nos locais de onde provém o menor número de visitantes, caso da região Sul e do exterior.

Quanto à frequência dos turistas, 68,17% afirmaram já ter visitado a Paraíba anteriormente. Os que visitaram pela primeira vez correspondem a 31,83% do total, um crescimento de 3,26p.p na comparação com igual período do ano passado. Deste universo, 78,67% estavam a turismo de lazer. A permanência média dos turistas foi de nove dias.

Pontos mais visitados


Neste ano, o Parque Sólon de Lucena foi o ponto turístico mais visitado (50,89%). Ressaltamos aqui a reforma feita no espaço, que agora está moderno e preparado para o uso recreativo e esportivo. Em seguida, aparecem o Hotel Tambaú (46,32%), Pôr do Sol na praia de Jacaré (43,14%), Estação Cabo Branco Ciência, Cultura e Artes (39,96%), Mercado de Artesanato Paraibano (39,56%), Farol do Cabo Branco (34,39%) e Centro Histórico (23,26%).
Já em relação às praias, a preferência dos turistas foi às situadas no litoral sul, sendo a praia de Coqueirinho considerada como a mais bela do estado. As mais visitadas pelos turistas foram Tambaú (73,13%) e Cabo Branco (71,99%), por serem praias urbanas mais centrais e onde há a maior concentração de hospedagem. Em seguida, Bessa (43,49%), Coqueirinho (41,53%), Manaíra (32,90%), Tambaba e Jacumã, que aparecem com um percentual de 25,24%, cada.

Serviços Turísticos


Entre os serviços turísticos, a Gastronomia paraibana obteve o maior nível de aprovação, com percentual de 96,33%. Em seguida, aparece a diversão noturna, com 95,43%, Guia de turismo (91,80%), Qualidade no atendimento dos restaurantes/bares/lanchonetes (90,75%), Comércio (90,70%) e Aeroporto (88,20%). A receptividade do paraibano, apesar de não ser exatamente um serviço, mas que está intimamente ligado ao nível de satisfação do turista, mais uma vez foi destaque e alcançou um expressivo índice de satisfação, com taxa de 96,97%.
Em relação aos serviços oferecidos pelo trade turístico da RMJP que houve melhora de classificação por parte dos turistas, ressaltando a sinalização turística nas estradas paraibanas, que apresentou a maior expansão do indicador de satisfação (21,09p.p), passando de 59,74% em 2016 para 80,83% este ano. Em seguida, vem o Atendimento na Rodoviária de João Pessoa, com alta de 16,44p.p, Serviço prestado pelo Centro de Informação Turística (12,00p.p) e Sinalização turística na Cidade de João Pessoa (11,68p.p).

Transporte, hospedagem e refeição


52,56% dos turistas chegaram à RMJP de avião, uma vez que a maioria dos visitantes é proveniente de regiões Sudeste, Centro-Oeste, Norte e Sul; além dos estrangeiros. Em seguida aparecem os ônibus interestaduais e intermunicipais, com 30,21% das citações, seguidos pelos automóveis particulares, utilizados por 13,60%.
A maioria dos turistas ficou hospedado na casa de amigos ou parentes (59,88%), seguido por hotel (26,85%), pousada (5,73%) e casa ou apartamento alugados (4,07%). Consultada sobre a maneira que escolheu a hospedagem na rede hoteleira, a maior parte dos respondentes (44,27%) informou que procuraram na internet, 26,48%. Através de pacotes de agências de viagens, 14,62% fizeram suas escolhas livres, o que indica que este grupo já tinha conhecimento do local de hospedagem, 11,07% foram os amigos que indicaram e 3,56% tiveram a escolha de sua estadia na através da empresa em que trabalham.
Quanto aos locais que costumam fazer as refeições, 73,45% dos turistas afirmaram utilizar restaurantes ou bares, seguido por lanchonetes (14,03%) e  na casa onde estão hospedados (53,09%).

Infraestrutura urbana


Todos os serviços ofertados aos turistas, com exceção de Transporte público (69,28%) obtiveram avaliação acima de 70,00%, entretanto, os melhores índices foram registrados nos serviços de Uber (97,06%) e Sinalização urbana (91,40%). Com elevados índices, os serviços de comunicação (85,45%) e atendimento médico (73,91%), na comparação com o ano passado, obtiveram alta de 15,56p.p. e 11,41p.p, respectivamente. Os serviços de Segurança (80,59) e Limpeza (79,85%) também foram bem avaliados.
Os serviços de Táxi (78,01%) e Uber (97,06%) foram bem avaliados por parte dos turistas, porém, na comparação com os resultados obtidos no ano anterior, a pesquisa revelou que o serviço prestado pelos taxistas apresentou uma retração de 2,74p.p no índice de classificação. Esta é a primeira vez que a pesquisa mede o índice de satisfação com o Uber, uma vez que o serviço entrou em circulação apenas em 2016.

Pontos positivos e negativos


Quando questionados sobre os pontos que os turistas consideravam positivos, dentre os mais citados os destaques foram as praias, com 52,37%. Em seguida, aparece a receptividade do paraibano (14,87%), Clima (13,13%), Gastronomia (9,81%) e as Praias do litoral sul (9,49%).
Já os pontos mais negativos citados pelos turistas foram a estrutura do aeroporto (14,33%), falta de sinalização turística na PB008 (11,95%), pouca segurança nas praias de Tambaú, Cabo Branco, Intermares e Bessa (9,56%) e a falta de lixeiras e campanhas educativas sobre o lixo (8,53%).

Perfil do turista


A faixa etária dos visitantes mais expressiva foi de turistas com idade entre 46 a 59 anos (25,64%), seguida pela faixa composta por turistas com idades entre 26 a 35 anos (25,34%). A maioria dos turistas é constituída por mulheres, totalizando 53,24%. Quanto ao estado civil, 48,27% se denominaram casados ou em regime de união estável e 42,38% solteiros.
Em relação à escolaridade, 46,61% possuem nível superior, seguidos por 30,62% que possuem nível médio. A maior parte dos entrevistados era composta por funcionários que trabalham em empresas privadas (32,58%). O segundo maior percentual de visitantes são funcionários de empresas públicas, com 19,16% do total, em seguida, aparecem os autônomos/profissionais liberais (17,65%), empresários (9,50%), estudantes (8,90%), aposentados/pensionista (8,30%).
No que diz respeito à faixa salarial, 24,74% declararam possuir rendimento entre 2 a 4 salários mínimos, em seguida, aparecem os que recebem até 2 salários mínimos (21,87%) e entre quatro e sete salários mínimos (18,25%). O percentual dos que afirmaram ganhar acima de dez salários mínimos foi de 11,31%.
A maior parte dos turistas que visitam a RMJP é do Nordeste (42,68%), sendo 32,23% oriundos de outras cidades da Paraíba, seguidos pelos Estados de Pernambuco (24,54%), Rio Grande do Norte (22,71%) e Ceará (6,96%). Em seguida, aparecem as regiões Sudeste (34,39%) - sobretudo dos Estados de São Paulo (57,14%), Rio de Janeiro (34,87%) e Minas gerais (7,56%). Também foram registradas origens do Centro-Oeste (13,42%), Norte (2,71%) e por fim o Sul, com 5,13%. Ainda de acordo com o levantamento, 1,67% dos turistas são estrangeiros, provenientes, sobretudo, dos Estados Unidos, França, Itália, Argentina, Portugal, Bolívia, Canadá e Holanda.

Metodologia


A pesquisa ouviu 663 turistas entre os dias 28 de dezembro de 2016 a 13 de janeiro de 2017, escolhidos de forma aleatória, em diversos pontos turísticos, pousadas, hotéis, bares, restaurantes, aeroporto e terminais rodoviários da RMJP. O levantamento das informações foi realizado através de instrumentos de coleta de dados, ou seja, questionários devidamente estruturados contendo (em sua maioria) questões fechadas. Também foi garantido espaço para questões que permitiram aos entrevistados manifestar suas opiniões de forma espontânea. É importante ressaltar que, em algumas questões, os entrevistados poderiam indicar mais de uma alternativa como resposta. Logo, a soma dos percentuais das respostas para questões desse tipo não permitia totalização, já que ultrapassava 100%. Essas questões tinham como objetivo abranger um maior número de respostas de modo a possibilitar uma visão ampla do turista sobre os itens indagados.